O perigo do acúmulo de lixo nas cidades

O acúmulo de lixo nos centros urbanos é fator causador de doenças e piora a qualidade de vida de pessoas, animais e da atmosfera local.

Esses problemas estão ligados diretamente à falta de desenvolvimento socioeconômicos, culturais em cidades onde a coleta e o reaproveitamento do descarte do lixo não é realizado corretamente. Segundo a UNICEF e a Organização Mundial de Saúde, saneamento básico é um fator determinante para um país atingir o status de um de desenvolvido.

O descarte irresponsável de lixo residual, gera aumento de calor nas cidades, piora a qualidade do ar e das chuvas, cria condições de proliferação de mosquitos transmissores de doenças como a dengue, a febre amarela, a zika, e o aumento da taxa de mortalidade infantil e incidência de crianças portadoras de microcefalia, problemas de saúde pública que pedem por resolução urgente nos centros urbanos do Brasil, e que atinge principalmente a população mais pobre e carente de serviços públicos essenciais como esgoto e coleta de lixo.

O lixo acumulado nas ruas e obstruindo vias públicas e esgotos afetam o sistema de drenagem aumentando o risco de cheias nos rios causando enchentes e deslizamento de terras nos períodos de chuvas.

A vida de útil dos aterros sanitários é diminuída com o acúmulo de materiais descartados que possuem decomposição lenta como vidro, plástico, pneus e lixo eletrônico, que ainda contamina o solo e os lençóis freáticos, liberando gases e líquidos tóxicos para a população e os animais que vivem próximos às áreas afetadas por esse tipo de contaminação.

Por sua vez as cidades perdem dinheiro gasto em saúde e serviços de limpeza e coleta de lixo e manutenção nos centros urbanos e dinheiro gasto com a preservação e revitalização de áreas verdes e rios das cidades, o que aumenta a desvalorização imobiliária e do turismo local, proliferação de pragas e doenças contagiosas como a Leptospirose, poluição visual e também diminui a renda local, consequentemente pesando no bolso do trabalhador de áreas afetadas.

Segundo a UNICEF e a OMS, saneamento sustentável e responsável melhora a qualidade de vida das pessoas, bem-estar, saúde mental, física e social da comunidade beneficiada por esse direito básico, com destaque para as crianças e a redução da taxa de mortalidade infantil.

O descarte correto e a coleta seletiva está entrelaçada com o desenvolvimento econômico e ascensão social da população dos grandes centros urbanos  e o lixo residual produzido pela população é uma grande fatia do lixo na cidade e podemos contribuir com algumas mudanças diárias muito simples como o reaproveitamento de embalagens plásticas e garrafas de vidro, reutilizando envelopes e papéis antes do descarte final e evitando ao máximo o desperdício de alimentos e o descarte de lixo eletrônico, além de pilhas e baterias que liberam substâncias altamente prejudiciais a vida como chumbo, mercúrio, lithium e e cádmio.

O lixo nas cidades trazem perigos e riscos não só à saúde da população e dos animais que nelas residem, mas também ao desenvolvimento e crescimento, da economia local e cultural dos centros urbanos valorizando nossa vida e nossas áreas tanto verdes quanto imobiliárias.

Cidade limpa é cidade com saúde e lugar de gente feliz e produtiva.

FONTES:

https://bit.ly/2nFG4EK

https://bit.ly/2J9SVwf

https://bit.ly/2MTUOLw

https://bit.ly/2w9GmYp

https://bbc.in/2MmucGA

O acúmulo de lixo nos centros urbanos é fator causador de doenças e piora a qualidade de vida de pessoas, animais e da atmosfera local.

Esses problemas estão ligados diretamente à falta de desenvolvimento socioeconômicos, culturais em cidades onde a coleta e o reaproveitamento do descarte do lixo não é realizado corretamente. Segundo a UNICEF e a Organização Mundial de Saúde, saneamento básico é um fator determinante para um país atingir o status de um de desenvolvido.

O descarte irresponsável de lixo residual, gera aumento de calor nas cidades, piora a qualidade do ar e das chuvas, cria condições de proliferação de mosquitos transmissores de doenças como a dengue, a febre amarela, a zika, e o aumento da taxa de mortalidade infantil e incidência de crianças portadoras de microcefalia, problemas de saúde pública que pedem por resolução urgente nos centros urbanos do Brasil, e que atinge principalmente a população mais pobre e carente de serviços públicos essenciais como esgoto e coleta de lixo.

O lixo acumulado nas ruas e obstruindo vias públicas e esgotos afetam o sistema de drenagem aumentando o risco de cheias nos rios causando enchentes e deslizamento de terras nos períodos de chuvas.

A vida de útil dos aterros sanitários é diminuída com o acúmulo de materiais descartados que possuem decomposição lenta como vidro, plástico, pneus e lixo eletrônico, que ainda contamina o solo e os lençóis freáticos, liberando gases e líquidos tóxicos para a população e os animais que vivem próximos às áreas afetadas por esse tipo de contaminação.

Por sua vez as cidades perdem dinheiro gasto em saúde e serviços de limpeza e coleta de lixo e manutenção nos centros urbanos e dinheiro gasto com a preservação e revitalização de áreas verdes e rios das cidades, o que aumenta a desvalorização imobiliária e do turismo local, proliferação de pragas e doenças contagiosas como a Leptospirose, poluição visual e também diminui a renda local, consequentemente pesando no bolso do trabalhador de áreas afetadas.

Segundo a UNICEF e a OMS, saneamento sustentável e responsável melhora a qualidade de vida das pessoas, bem-estar, saúde mental, física e social da comunidade beneficiada por esse direito básico, com destaque para as crianças e a redução da taxa de mortalidade infantil.

O descarte correto e a coleta seletiva está entrelaçada com o desenvolvimento econômico e ascensão social da população dos grandes centros urbanos  e o lixo residual produzido pela população é uma grande fatia do lixo na cidade e podemos contribuir com algumas mudanças diárias muito simples como o reaproveitamento de embalagens plásticas e garrafas de vidro, reutilizando envelopes e papéis antes do descarte final e evitando ao máximo o desperdício de alimentos e o descarte de lixo eletrônico, além de pilhas e baterias que liberam substâncias altamente prejudiciais a vida como chumbo, mercúrio, lithium e e cádmio.

O lixo nas cidades trazem perigos e riscos não só à saúde da população e dos animais que nelas residem, mas também ao desenvolvimento e crescimento, da economia local e cultural dos centros urbanos valorizando nossa vida e nossas áreas tanto verdes quanto imobiliárias.

Cidade limpa é cidade com saúde e lugar de gente feliz e produtiva.

FONTES:

https://bit.ly/2nFG4EK

https://bit.ly/2J9SVwf

https://bit.ly/2MTUOLw

https://bit.ly/2w9GmYp

https://bbc.in/2MmucGA

Matriz - São Paulo

Endereço: Rua Rio de Janeiro número 899
Chácara Solar Setor I, Santana de Parnaíba - SP
CEP: 06530-020
Telefone: (11) 4156-3082 | (11) 4705-2630 |
Celular: (11) 94738-8992 | 55*93*116040
Whatsapp: (11) 94738-8992
comercial@sanicleansanitarios.com.br | comercial2@sanicleansanitarios.com.br