Os problemas causados pelo descarte inadequado de resíduos

O descarte inadequado de resíduos é uma das agressões a natureza mais visíveis aos nossos olhos, e deve ser combatida pelos órgãos públicos de cada município, assim como os cidadãos e quem mais estiver de passagem. O descarte correto e adequado de resíduos, sejam eles domiciliares, hospitalares, industriais é uma tarefa de todos. Além disso, existe a Política Nacional de Resíduos Sólidos, uma regulamentação sobre o descarte e coleta sustentável para empresas, vigente pela Lei 12.305/10.

Os resíduos sólidos são responsáveis por muitos problemas que afetam as cidades do Brasil, como por exemplo a sujeira nas ruas causada por pequenos descartes individuais que juntos se transformam em uma quantidade enorme de lixo que toma as ruas dos grandes centros urbanos como o aumento da incidência de enchentes pela obstrução dos esgotos, contaminação de lençóis freáticos, aumento de gastos públicos em limpeza urbana e manutenção, desvalorização imobiliária, obstrução de vias públicas, proliferação de pragas e doenças contagiosas como a Leptospirose, poluição visual e consequentemente prejuízos no turismo local. O descarte inadequado de lixo eletrônico por exemplo, é o causador de danos ambientais graves como a redução no tempo de vida útil dos aterros sanitários, contaminação por metais pesados como mercúrio, chumbo e cádmio, que afetam a qualidade do solo e da água de rios e lençóis freáticos, e equipamentos eletrônicos têm em sua composição, materiais que demoram para se decompor naturalmente como vidro e plástico e acumulam volume e encurtam o tempo de vida útil dos aterros.

O aumento das vendas de automóveis no Brasil, significa também o crescimento do descarte incorreto de pneus usados, causando poluição do solo contaminação de áreas devido a sua biodegradação lenta, causando infecção de pessoas e animais que se alimentam de áreas com solo contaminado pela eliminação de resíduos químicos liberados na natureza pela deterioração dos pneus.

Quando expostos à luz solar e às chuvas, os pneus começam a se desfazer tanto na forma de líquidos como na forma de gases que contaminam ecossistemas e a atmosfera, e servem como foco de mosquitos transmissores de doenças como a dengue, malária e febre amarela.

Em São Paulo, 35% dos resíduos domiciliares coletados diariamente pelo poder público tem potencial para ser reciclado, isto é, 35% de 12 mil toneladas de lixo gerado pela população da cidade em um dia. Desse volume apenas 6% é reaproveitado, segundo a prefeitura.

Segundo um estudo do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (Unesp), os carroceiros são o principal agente na coleta seletiva municipal e são responsáveis por quase metade do lixo reciclado no país.

Eles recolhem 43,5% do volume total de lixo residual reciclado pela coleta seletiva na cidade de São Paulo,as prefeituras recolhem 18,7% do total e as empresas, são responsáveis pelo reaproveitamento de 37,8%.

Em cidades com até 100 mil habitantes, os catadores são responsáveis por 60,1% da coleta seletiva segundo o mesmo estudo.

Para contribuir com a reciclagem do nosso próprio lixo residual, podemos diminuir o volume do descarte doméstico com simples ações diárias como reaproveitamento de embalagens e garrafas de vidro, reutilizando envelopes e papéis antes do descarte final, evitando ao máximo o desperdício de alimentos e o descarte irresponsável de lixo eletrônico, além de pilhas e baterias.

FONTES:

https://bit.ly/2nFG4EK

https://bit.ly/2JMhRp9

https://bit.ly/2w9GmYp

https://bbc.in/2MmucGA

https://bit.ly/2MTUOLw

https://bbc.in/2MsT9PY

O descarte inadequado de resíduos é uma das agressões a natureza mais visíveis aos nossos olhos, e deve ser combatida pelos órgãos públicos de cada município, assim como os cidadãos e quem mais estiver de passagem. O descarte correto e adequado de resíduos, sejam eles domiciliares, hospitalares, industriais é uma tarefa de todos. Além disso, existe a Política Nacional de Resíduos Sólidos, uma regulamentação sobre o descarte e coleta sustentável para empresas, vigente pela Lei 12.305/10.

Os resíduos sólidos são responsáveis por muitos problemas que afetam as cidades do Brasil, como por exemplo a sujeira nas ruas causada por pequenos descartes individuais que juntos se transformam em uma quantidade enorme de lixo que toma as ruas dos grandes centros urbanos como o aumento da incidência de enchentes pela obstrução dos esgotos, contaminação de lençóis freáticos, aumento de gastos públicos em limpeza urbana e manutenção, desvalorização imobiliária, obstrução de vias públicas, proliferação de pragas e doenças contagiosas como a Leptospirose, poluição visual e consequentemente prejuízos no turismo local. O descarte inadequado de lixo eletrônico por exemplo, é o causador de danos ambientais graves como a redução no tempo de vida útil dos aterros sanitários, contaminação por metais pesados como mercúrio, chumbo e cádmio, que afetam a qualidade do solo e da água de rios e lençóis freáticos, e equipamentos eletrônicos têm em sua composição, materiais que demoram para se decompor naturalmente como vidro e plástico e acumulam volume e encurtam o tempo de vida útil dos aterros.

O aumento das vendas de automóveis no Brasil, significa também o crescimento do descarte incorreto de pneus usados, causando poluição do solo contaminação de áreas devido a sua biodegradação lenta, causando infecção de pessoas e animais que se alimentam de áreas com solo contaminado pela eliminação de resíduos químicos liberados na natureza pela deterioração dos pneus.

Quando expostos à luz solar e às chuvas, os pneus começam a se desfazer tanto na forma de líquidos como na forma de gases que contaminam ecossistemas e a atmosfera, e servem como foco de mosquitos transmissores de doenças como a dengue, malária e febre amarela.

Em São Paulo, 35% dos resíduos domiciliares coletados diariamente pelo poder público tem potencial para ser reciclado, isto é, 35% de 12 mil toneladas de lixo gerado pela população da cidade em um dia. Desse volume apenas 6% é reaproveitado, segundo a prefeitura.

Segundo um estudo do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (Unesp), os carroceiros são o principal agente na coleta seletiva municipal e são responsáveis por quase metade do lixo reciclado no país.

Eles recolhem 43,5% do volume total de lixo residual reciclado pela coleta seletiva na cidade de São Paulo,as prefeituras recolhem 18,7% do total e as empresas, são responsáveis pelo reaproveitamento de 37,8%.

Em cidades com até 100 mil habitantes, os catadores são responsáveis por 60,1% da coleta seletiva segundo o mesmo estudo.

Para contribuir com a reciclagem do nosso próprio lixo residual, podemos diminuir o volume do descarte doméstico com simples ações diárias como reaproveitamento de embalagens e garrafas de vidro, reutilizando envelopes e papéis antes do descarte final, evitando ao máximo o desperdício de alimentos e o descarte irresponsável de lixo eletrônico, além de pilhas e baterias.

FONTES:

https://bit.ly/2nFG4EK

https://bit.ly/2JMhRp9

https://bit.ly/2w9GmYp

https://bbc.in/2MmucGA

https://bit.ly/2MTUOLw

https://bbc.in/2MsT9PY

Matriz - São Paulo

Endereço: Rua Rio de Janeiro número 899
Chácara Solar Setor I, Santana de Parnaíba - SP
CEP: 06530-020
Telefone: (11) 4156-3082 | (11) 4705-2630 |
Celular: (11) 94738-8992 | 55*93*116040
Whatsapp: (11) 94738-8992
comercial@sanicleansanitarios.com.br | comercial2@sanicleansanitarios.com.br